Aglomerados periféricos na literatura marginal

Segundo o IBGE, as periferias concentram a maior quantidade de pessoas por quilômetro quadrado. Conheça os locais no RJ e SP, a densidade populacional e o que autoras e autores periféricos escreveram sobre eles.

Foto: Tânia Rego/AB

ROCINHA (RJ) 48.367

“Foi no Tabajaras, no Cantagalo, na Cruzada e lá no Vidigal ficou sabendo que na Rocinha também tava na seca. Cocaína tinhacasino de slots paga mesmotudo que era lugar. Será que era verdade que o governador tinha liberado geral pra entrada do pó?” Quem tá Pecando é Você, Márcio Januário

Foto: Instagram

JACAREZINHO (RJ) 35.966

“E quase sempre a chapa esquenta/ O choque de realidade só aumenta/ Leva dura, enquadrada, chicotada/ Exército no Jacarezinho/ Faz onze dias que os tiros lá não param”. Pretos, MC Martina

Foto: Instagram

MARÉ (RJ) 29.098

“O Carlos parecia ser só mais um cracudo que, inebriados, veem macacoscasino de slots paga mesmocima de postes e girafas andando pela rua Teixeira Ribeiro. O Carlos até era engraçado, um tanto quixotesco, já o havia visto dançando forró com alguma amiga imaginária e também no baile funk do Parque União”. As crônicas de Carlos, Ana Paula Lisboa

Foto: Instagram

CIDADE DE DEUS (RJ) 21.375

“Dona Avelina, indígena potiguara da Paraíba, fundadora da Igreja Universal do Reino de Deus, na Cidade de Deus. Mulher de Jesus, mas que levou a nossa mãe para iniciar para Exu com Iansã no Candomblé. Nossa mãe, que fugiu do roncó antes do término da iniciação” Tribo, Tempo e Dança, Viviane Salles

Foto: Instagram

CIDADE ADEMAR (SP) 20.372

“As mulheres nesse imenso território chamado Jardim Miriam, Cidade Ademar, Pedreira e todos os bairros do entorno, são protagonistas dos fronts de resistência há várias décadas e fazem daqui um pequeno país, com todas as suas histórias, dores, conquistas e infelizmente o sofrimento das suas trabalhadoras e trabalhadores” Rexistência tem Voz de Mulher, organizado por Zulmira Fonseca e outras mulheres

Foto: Instagram

CAPÃO REDONDO (SP) 19.632

“Capão Redondo era um nome muito estranho, e o que lhe tinham explicado era que o nome era tirado de um artefato indígena, pois os índios faziam um cestão de palha que tinha o nome de capão, e vendo essa área de longe se tinha a impressão de ser uma cesta” Capão Pecado, Ferréz

Foto: Instagram

COMPLEXO DO ALEMÃO (RJ) 18.959

“O que eu sei é que uma das primeiras favelas a ser dominada pelo tráfico foi justamente a do Morro do Alemão, junto com a da Mangueira e a do Jacaré, na década de 1970. O Brasil virou rota da droga que saía dos países da América do Sulcasino de slots paga mesmodireção à Europa”. O Livreiro do Alemão, Otávio Junior

Foto: Instagram

CAMPO LIMPO (SP) 18.773

"A cidade cresce./ O muro cresce./ Vieram os prédios, as delegacias, os puteiros/ A as Casas Bahia." Campo Limpo Taboão, Binho

Foto: Instagram

SACOMÃ (SP) 17.893

“A última guerra romântica acontece por aqui:/ São Paulo – Brasil/ Fundão do Ipiranga/ Jardim São Savério/ Parque Bristol - Bristão./ Mil e uma noites. A mil./ A milhão”. De Aqui de Dentro da Guerra, Dinha

Foto: Jaiane Conceição

ITAIM PAULISTA (SP) 16.804

“Começávamos a se juntar no ponto da lotação que leva até a estação, pegávamos as kombis que vinham de Guaianazes para o Itaim e descíamos na porta da estação, o bairro do Itaim Paulista é muito grande e de todo lado tem lotação para estação, hoje são poucas as kombis, agora são vans, micro ônibus, e o pessoal utiliza o bilhete único”. O Trem – Contestando a Versão Oficial, Alessandro Buzo

Foto: Marilda Borges

Veja no Visão do Corre

Conheça os nomes que o IBGE já deu para as favelas

Foto: Tânia Rego/AB